Baby House - Onde a verdadeira infância acontece | Porto Alegre, Brasil

Educar com a Vida

Estamos suspendendo nossas atividades!

Experimentar

Queridos!

A partir deste mês de dezembro de 2020 estamos suspendendo nossas atividades da Baby House!

Desde o início da pandemia, optamos por não abrir matrículas para o próximo ano, tanto para crianças novas quanto para aquelas que já estão na Baby House, a fim de poder observar melhor o andamento deste quadro inusitado. E acabamos optando por tomar esta difícil, mas amadurecida, decisão.

O motivo mais breve é que o funcionamento da escola com segurança durante uma pandemia depende de um ambiente externo com boas condições de saúde. No entanto, a perspectiva é de termos pelo menos alguns meses difíceis pela frente ainda.

Esta segurança se completa com a aplicação enfática de protocolos de saúde. Que envolve medidas como o funcionamento em turno único (para evitar o contato de crianças de turmas diferentes ao meio dia), o não oferecimento de atividades complementares (evitando profissionais circulando entre diferentes escolas e turmas) e a possibilidade de fechamento – de uma turma, da escola ou de todas as escolas – de acordo com a ocorrência de casos. Ao não abrirmos mão deste alto nível de segurança, paradoxalmente, acabamos por tornar a escola menos atrativa às famílias.

Isso acaba levando a um terceiro ponto, que é a dificuldade de encontrar um equilíbrio financeiro neste cenário – manter a estrutura e a equipe da Baby House, com um atendimento ao mesmo tempo presencial e remoto, enquanto as famílias esperam, como contrapartida às limitações colocadas, uma redução nos valores escolares. Temos mantido nosso atendimento no mais alto nível possível, em todos os sentidos – educacional, de segurança, de qualidade dos materiais e alimentação – mas isto implica um deficit constante, difícil de ser mantido indefinidamente. A solução mais comum seria simplificar ou padronizar o atendimento. Demandas neste sentido, inclusive, já havia antes da pandemia. E isso nos leva ao quarto ponto, talvez o mais significativo em nossa tomada de decisão.

Em momentos de crise, é comum crescer a busca pelo fácil, pelo concreto e pelo já conhecido. No caso da educação, isso se manifesta pela busca por metodologias de gerações passadas, que todos sabemos ser tediosas e ineficientes, mas que, revestidas com um discurso “moderno”, móveis novos e tecnologias contemporâneas parecem ser agora a solução para o que nunca conseguiram ser. Lamentamos muito que estejamos voltando a pensar a educação como “aprender a ler, escrever e contar”. E, agora, também “falar inglês”, como se fosse uma novidade, quando na Baby House o inglês é curricular há vinte ou trinta anos...

Educação para nós é muito mais do que isso. É saber se colocar num grupo, expressar suas opiniões, encontrar soluções criativas, tomar decisões, compreender e respeitar o amigo e suas opiniões, saber compartilhar o espaço e os recursos (o que inclui esperar sua vez), saber lidar com as emoções, desenvolver paciência, gentileza, empatia. Isso envolve uma abordagem pedagógica sofisticada, profissionais qualificados, formação permanente, materiais selecionados e uma estrutura ampla para oferecer a mais alta gama de experiências. Além de um ambiente que se oponha – e não que reforce – a padronização e a imposição, reconhecendo o potencial de cada ser (hoje criança) e oferendo o máximo para seu desenvolvimento pleno – cognitivo, mas também emocional, relacional e ético. Entendemos este como o sentido da Baby House!

É normal para nós, como se costuma dizer, “consertar o avião em pleno voo”. Afinal, temos apenas um curto recesso e estamos sempre em funcionamento. Vamos nos reinventando conforme novas demandas vão surgindo. Foi assim, inclusive, no início da suspensão do atendimento presencial, quando no primeiro dia desta suspensão já tínhamos no ar um blog para cada turma da Baby House e a implantação tanto do envio de kits para as crianças em suas casas quanto de encontros on-line para cada turma – o que a grande maioria dos colégios, inclusive os mais renomados, levaram meses para fazer!

Ou seja, estamos acostumados a nos recriar, e fazemos isso com alegria! No entanto, a parada forçada pela pandemia nos fez refletir se não seria o caso de uma parada mais longa, a fim de esperar um realinhamento das expectativas das famílias e da sociedade em relação à educação infantil e ao que as crianças devem adquirir nessa fase de suas vidas; ou, mesmo, uma parada permanente (afinal, é difícil recomeçar uma escola “do zero”).

É então que chegamos ao ponto final. Como dizemos: terminar, tudo termina! O importante é saber a hora de encerrar, para encerrar no topo. Parando agora, estamos mantendo nosso atendimento no mais alto nível até o último dia: a escola movimentada, as crianças alegres, a equipe super solidária e motivada, a escola linda, materiais e alimentação completos e qualificados, todos os equipamentos em funcionamento. E também (contando com o apoio financeiro dos sócios) no limite para encerrar sem dívidas, especialmente honrando todos os compromissos com nossa equipe (alguns com mais de quinze anos de vínculo!), que foi fantástica neste retorno – isso poderia não estar ao nosso alcance logo em seguida, no caso de novos fechamentos.

Não descartamos a possibilidade de um retorno num tempo futuro – talvez com uma revalorização da educação no seu sentido mais pleno, talvez com um novo formato – mas não acreditamos que isso aconteça em breve. Então, fazemos aqui nossa despedida.

Agradecemos a todos que fizeram parte destes quarenta anos de história da Baby House! Vocês estarão sempre com muito carinho em nossos corações! Encerramos com a convicção de termos nos empenhado ao máximo para oferecer o melhor, especialmente às crianças, motivo do nosso trabalho, e esperando ter podido marcar de forma positiva as crianças, famílias, colaboradores e parceiros que estiveram conosco ao longo desses anos.

Seguimos acreditando numa educação humanizadora, que vai além dos conteúdos, e que cultiva valores preciosos para o viver coletivo, como amizade, respeito, solidariedade e cooperação, tudo isso apoiado na alegria e no desejo de contribuir sempre para que o mundo seja um lugar de se viver em harmonia.

Desejamos a todos novos tempos, mais solidários, amorosos e alegres!

Com muito carinho,

Direção da Baby House